Benefícios dos vegetais – coma seus vegetais – eles são bons para seus ossos!

Comer os seus vegetais pode combater a doença do enfraquecimento ósseo – a osteoporose. De acordo com resultados de um novo estudo, ratos que comeram ervas comuns e legumes, como cebola, salsa e vegetais de salada, tiveram uma perda óssea significativamente menor do que ratos que não estavam recebendo a dieta especial.

” Uma variedade de saladas, ervas e legumes cozidos que são comum na dieta humana podem alterar o metabolismo do osso, ” afirmam os Drs. Roman C. Muhlbauer e Feng Li da Universidade de Bern, Suíça. ” Se isto também acontece aos humanos, então uma quantidade adequada destes legumes na dieta diária poderia ser um modo efetivo e barato para diminuir a incidência de osteoporose”.

Muhlbauer e Feng alimentaram ratos masculinos com 1 grama de cebola seca por dia durante 4 semanas. Comparado com ratos que não receberam alimento com cebola, estes ratos apresentaram um aumento significativo no conteúdo mineral e na densidade óssea.

A cebola e uma variedade de outros vegetais também reduziu a velocidade de reabsorção óssea, a perda de minerais dos ossos que caracteriza a osteoporose. Vários vegetais, isolados ou misturados, produziram efeitos significativos na taxa de perda óssea e incluem 500 mg diários de cebola e de salsa italiana (cada), por exemplo, e 100 mg cada de ” uma mistura de alface, tomate, pepino, arrugula, cebola, alho, alho selvagem, salsa comum, salsa italiana, e endro “.

Para estudar estes efeitos em animais mais semelhantes às mulheres do período pós-menopausa, as vítimas mais freqüentes de osteoporose, Muhlbauer e Feng observaram ratos fêmeas que tiveram os ovários removidos. O aumento na reabsorção óssea causado pela remoção dos ovários foi reduzido significativamente alimentando os animais com cebola, e quanto mais cebola eles recebiam por dia, mais lenta a perda óssea.

De maneira interessante, o feijão-soja e o leite em pó – alimentos que se pensavam retardar o processo de osteoporose – não tiveram nenhum efeito na taxa de reabsorção óssea nos ratos. O estudo foi publicado no número de 23 de setembro da revista Nature.

Uma Resposta

  1. KAROL MH 6 de agosto de 2013

Deixe seu Comentário