Fisioterapia para aliviar dores do crescimento

Faz parte da natureza de todos os seres vivos nascer e crescer, e não há beleza maior do que isso acontecer com saúde.

No entanto, tornou-se cada dia mais comum a dor musculoesquelética em crianças e adolescentes, um problema conhecido popularmente como “dor do crescimento”.

Hoje, em torno de 25% das crianças, especialmente meninas, que procuram o reumatologista pediátrico sofre desse mal.

E as principais queixas são de dores nas pernas, nos braços, na coluna e no pescoço, cujas crises podem acontecer repetidamente por meses ou anos.

Por isso, é importante redobrar a atenção quando a criança ou o adolescente, especialmente entre 9 e 12 anos, chegar da escola com reclamações de dores nos joelhos e nas pernas, além de cansaço. Nesta idade é sinal de que algo não vai bem. Se a queixa for recorrente, o ideal é encaminhar a um pediatra ou reumatologista para avaliação inicial. Esses profissionais são capazes de diferenciar as causas benignas daquelas que necessitam de um especialista ou de um atendimento de urgência, como nos casos em que as dores vêm associadas à febre, perda de peso e desânimo, além de inchaços ou calor.

Apenas recentemente profissionais da saúde infantil passaram a lidar com questões como a “dor do crescimento”. Agora é que estamos começando a enfatizar a preocupação de que é importante a criança fazer atividade física, pois é pela falta de exercícios físicos que essas dores do crescimento podem ser desencadeadas. dores do crescimento

Isso acontece principalmente com as meninas, porque, durante a fase de crescimento, as mulheres sofrem descarga maior de hormônios estrógeno e progesterona, que estão ligados ao desenvolvimento do corpo.

Para a fisioterapeuta, é muito importante a realização da atividade física para o desenvolvimento do condicionamento físico, mas há casos mais graves em que pode ser necessário o tratamento com sessões de fisioterapia especiais para aliviar as dores do crescimento.

Uma Resposta

  1. Dyna Novaes 14 de setembro de 2011

Deixe seu Comentário