Hidroterapia nas Disfunções Cárdio-Pulmonares

A Hidroterapia é um recurso fisioterapêutico que tem sido cada vez mais utilizado na área Médica, como um recurso a mais para se obter uma recuperação mais rápida e melhor dos pacientes.

Dentre as diversas especialidades Médicas, a Cardiologia e a Pneumologia são áreas onde a Hidroterapia como recurso coadjuvante de tratamento é ainda pouco difundida.

Vantagens da Hidroterapia na Disfunções Cárdio-Pulmonares

• Aumento do retorno venoso e do débito cardíaco; Diminuição da dor; Aplicação de força externa sobre todo o tórax; Melhora da flexibilidade; Melhora a capacidade respiratória; Trabalho de força dos músculos respiratórios; Melhora da resistência cardiovascular, melhora da oxigenação sanguínea e da circulação como um todo (inclusive a coronariana); Melhora da capacidade aeróbica; Relaxamento muscular; Diminuição da ansiedade (fator desencadeante da asma); Melhora da higiene brônquica; Promove aumento da autoconfiança, prevenindo ausência do trabalho e depressão pela inatividade; Melhora a sociabilidade.

Tipos de pacientes indicados para Hidroterapia

Portadores de DPOC´s; Portadores de Fibrose Cística; Portadores de Coronariopatias; Portadores de Hipertensão Arterial controlada; Portadores de Cardiopatias; Portadores de Valvopatias. No caso especial da Asma, a Hidroterapia pode ser um grande coadjuvante no seu tratamento, mesmo na Asma induzida pelo exercício.

São numerosas as causas de Asma induzida pelo exercício, como o ar frio, a baixa concentração de CO2, a alcalose respiratória e, especialmente, a intensidade e duração do exercício. Hoje a atenção está voltada para o resfriamento e ressecamento do trato respiratório, que ocorre quando grandes volumes de ar seco são inalados durante o exercício.

Portanto o ambiente úmido da piscina terapêutica é bastante propício para a realização de exercícios físicos para pacientes portadores de Asma, pois permite a inalação de um volume de ar bastante umidificado.

Deixe seu Comentário